A PEDRA AUTOR: ANTÒNIO PERERA APON

A PEDRA

O distraído nela tropeçou.
O bruto a usou como arma.
O empreendedor a usou para construção.
O camponês dela fez um assento.
Michelangelo dela fez uma escultura.
Davi com ela matou o gigante.
Jesus mandou removê-la para ressuscitar Lázaro.
Observe que a diferença não está na pedra, mas na atitude das pessoas!
Não existe "pedra" no seu caminho que você não possa aproveitá-la para o seu próprio crescimento.
Que Deus lhe dê sabedoria, para saber o que fazer com cada pedra que você encontrar tornando-as alicerce em sua vida.                                            
Vamos terminar o ano de 2016 sabendo o que fazer com as próximas pedras!

Comentários

  1. Caro amigo.

    Ferindo a lei 9.610 (Direitos autorais). Esse meu poema: A pedra. Circulava como de autor desconhecido ou com o nome de plagiadores , Induzindo as pessoas a reproduzirem versões alteradas (como a aqui postada). Seguem aparecendo como de Chaplin, Renato Russo, Fernando Pessoa, sem citar a autoria...
    O real autor é Antonio Pereira Apon. Todos os esclarecimentos em: http://www.aponarte.com.br/2007/08/pedra.html ou http://recantodasletras.com.br/poesias/276888

    A forma original do poema:

    O distraído, nela tropeçou,
    o bruto a usou como projétil,
    o empreendedor, usando-a construiu,
    o campônio, cansado da lida,
    dela fez assento.
    Para os meninos foi brinquedo,
    Drummond a poetizou,
    Davi matou Golias...
    Por fim;
    o artista concebeu a mais bela escultura.
    Em todos os casos,
    a diferença não era a pedra.
    Mas o homem.

    Título: A pedra
    Nome do autor: Antonio Pereira Apon
    Link oficial: http://www.aponarte.com.br/2007/08/pedra.html
    Fan Page: http://www.facebook.com/apedraoficial

    Solicito a cooperação na Correção do conteúdo, incluindo os créditos necessários ou a exclusão do mesmo, para que o poema não siga equivocadamente como de “autor desconhecido” ou com outras possíveis distorções quanto a real autoria.

    Se possível, conto com a colaboração na divulgação desses esclarecimentos em Blogs/Sites e Redes Sociais.

    Um grande abraço.

    Antonio Pereira Apon

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro amigo Antônio Pereira Apon;
      Este poema foi postado num grupo espiritualista do Whatsapp e me chamou a tenção pela beleza poética e sua mensagem de auto-ajuda. peço desculpas, mas é porque na dita postagem foi ignorado o nome do autor.
      Muito grato pelo alerta,
      Giovani Costa

      Excluir
    2. Bom dia, Giovani.

      Sou eu que agradeço por sua atenção. Infelizmente, quando descobri os plágios, eles já haviam se disseminado, induzindo as pessoas a compartilharem essas versões diversas da forma original do poema e sem citar a autoria ou, pior, trocando o nome do autor por nomes famosos ou de criminosos plagiadores. Conto com a ajuda dos amigos na divulgação e multiplicação desses esclarecimentos. Obrigado!

      Um grande e fraterno abraço, com sinceros votos de um feliz ano novo.

      Excluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

HISTÓRIA DO CEARÁ- AS PRINCIPAIS TRIBOS INDÍGENAS

CORDEL - O QUE SÃO SEXTILHAS

ORIGEM DA FAMÍLIA PINHO NO BRASIL