A lendária e misteriosa pedra - Por Pablo Santos

Imagem do Google

A Lendária e Misteriosa Pedra

Havia uma lenda sussurrada e desacreditada sobre uma pedra, lendária mesmo naquele lugar em que tudo o mais era lenda.
Era algo estranho, desconexo e insólito.
Nem a Sabedoria de Salomão, a Sagacidade de Gilgamesh, a coragem de Enkidu e o pensamento estratégico de Ulisses conseguia. Atinar com esse mistério. Nem mesmo as virtudes capitais ensinadas pelos santos, nem as magias ensinadas pelos mais Altos Iniciados, nem sequer os sistemas lógicos de místicos, filósofos e alquimistas podiam sequer arranhar sua couraça de entimemas e paradoxos.
Jazia então protegida e guardada, incompreendida e velada. Ao alcance de todos e mesmo assim distante e aparentemente inútil.
Certa feita, porém, fora expulsa do lugar em que tudo é lenda por uma divindade tão Poderosa quanto inconveniente e que se chamava Necessidade.
Caiu rojada ao solo qual pedra de meteoro e os que a viam sequer se espantavam. Seu aspecto não era precioso, não ostentava brilho ou qualquer poder a ser doado a quem lhe possuísse.
Houve, porém, um homem...um homem comum, de vida vulgar, sem anseios de herói, sem ambições de rei e sem a vaidade dos magos...este homem se aproximou o suficiente para tocar a pedra e viu que nela estava escrito em letras de relevo três palavras: coerência, reciprocidade e entendimento. Tocou nela e estas três virtudes se fizeram presentes nele. Percebeu então que por ser coerente não poderia mais habitar no mundo das fantasias de grandeza e entendeu que no mundo das lendas a pedra não poderia estar lá por não ser fantasia como os habitantes da Terra lendária. Em seguida compreendeu que por haver adquirido a virtude da reciprocidade não lhe cabia a ambição da sabedoria total é que portanto o lugar daquela pedra não era entre os deuses do conhecimento como Thoth, Salomão e Nabu. Por fim, ao ser tomado pelo entendimento, compreendeu que era um Homem e que portanto, não obstante fosse Rei ou escravo, soldado ou agricultor, a condição humana era seu apanágio e então somente assim poderia estar no mundo de acordo com o que efetivamente poderia realizar e ser Igualmente compreendeu por qual razão Necessidade atirou esta pedra em direção às Terra, pois ao contrário das lendas, somos nós os homens que precisamos das virtudes e não os deuses, arquétipos ou sistemas abstratos de pensamento.
Após isso pegou um enorme martelo,  e destruiu em milhares de pesava  é a rocha e enterrou em vários lugares do mundo (pois se tornará andarilho). Hoje os fragmentos  e de tal Rocha ainda existem, e próximos! Porém somente aqueles que querem viver a realidade podem cavar e achar esta que é...a Pedra Filosofal.

No dia 27/05/2017 eu sou Pablo Santos, também conhecido por alguns como Amraphel.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

HISTÓRIA DO CEARÁ- AS PRINCIPAIS TRIBOS INDÍGENAS

CORDEL - O QUE SÃO SEXTILHAS

ORIGEM DA FAMÍLIA PINHO NO BRASIL