Postagens

Mostrando postagens de Outubro, 2012

O importante é viver!

Imagem
Ana leandro Bitu
O importante é viver!
A minha tia  Ana leandro, dia 15 deste mês completou 101 anos.só se queixa de dores no joelho e tem uma lucidês de fazer inveja a qualquer um de nós. uma memória incrivel! Francisca (Tiquinha, sua filha), ha mais de 40 anox mora em Salvador. Chegou para o aniversário uma semana antes. Ela me disse que D. Ana olhou para ela da cabeça aos pés, analisou bem e fez o seguinte comentário:
-Vixe, Tiquinha minha filha, como tu tá muito véia e feia!
Ai A filha respondeu:
Pois é, mas tou viva o importante é eu tá viva!

Álbim de Família

Imagem
Meu Pai, Antônio Leandro Bezerra(faleceu em 1996)
   Patrícia (sobrinha), Francisca (Quinha(, Chico Ontõe,Maria da Glória, Raimunda IMundinha), Carmelita
(minha mãe,Benedito, manoel Leandro, Nonato, Zé Leandro e eu.Ao fundo, nossa casa no Sanharol.

MINHA FAMÍLIA: "Observa o teu culto a família e cumpre teus deveres para com teu pai, tua mãe e todos os teus parentes. Educa as crianças e não precisarás castigar os homens." (Pitágoras)                                                         Chagas com André Luis (filho, Ana Kais e Michel, caçula de Benedito.
Imagem
MEUS AVÓS PATERNOS:


Manuel Leandro Bezerra Nasceu em 1873, numa casa onde é a propriedade de João Menezes Costa, no Sanharol. Quarto filho de Manuel Leandro Bezerra (3° do segundo casamento deste com Clara Alves de Morais Feitosa, do Pita, localidade de Arneiroz, Inhamuns). Bisneto de Papai Raimundo. Seus irmãos eram: 1-José Alexandre Bezerra de Meneses 2-Ana Bezerra do Vale (Santana) 3-Antônio Leandro Bezerra 4-João Leandro Bezerra 5-Joana Leandro Bezerra 6-Maria Leandro Bezerra
Por alguns anos, viveu na cidade do Crato, na fazenda de Zuza Bezerra de Brito, seu primo. Zuza era filho de Vicente Bezerra de Brito, e depois, veio a ser padrinho do seu filho Antônio. Foi agricultor, criador de gado e ovelhas e também foi tropeiro. Comprava farinha em Campos Sales e Santana do Cariri para vender em Cajazeiras, na Paraíba. Também transportava pluma de algodão que era feito pelas bolandeiras puxadas a boi e pegava o frete para deixar em Quixadá e Aracati. Embora muito sério nos seus negócios, era…

Enquanto eu for ser vivente,(Seu Ribeiro)

Enquanto eu for ser vivente,
Vou fazer o meu banzé.
Irei pelejar com fé,
Ter o coração valente.
Sou amigo dessa gente
De cultura e de valor.
Ao meu Brasil sonhador,
Toda a minha lealdade...
Não existe faculdade
Que diploma cantador!


( Seu Ribeiro ).
Imagem
Antònio Ferreira quase surdo!
O comerciante Antõnio Ferreira, pai do empresário Raimundo Ferreira, certa vez estava na sua  mercearia quando chegou um sujeito e lhe fez a seguinte proposta:
_Seu Ferreira, eu vim aqui saber se dar para o senhor me emprestar dez miul réis!
_É o que home? Fale alto que eu sou moco, disse Seu Fereira.
_Eu vim aqui ver se o senhor pode me emprestar vinte mil réis, repetiu o sujeito.
-Espera, e neste instante era dez e porque que agora já é vinte? retrucou Seu Ferreira, ouvindo muito bem..
O FUNERAL DA GALINHA RAFINHA EM PATOS--PB
Quando em Canindé estavam construindo a estátua de Saõ Francisco, a vizinha Caridade começou a erguer a estátua de Santo Ântônio para ser maior que o Cristo Redentor, mas vejam o que aconteceu;
 O Santo do ano 2001  Poeta joão Batista Azevedo
 na vizinha Caridade
 planejaram um monumento
qu ia ser o sustento
 do turismo da cidade
 e havendo necessidade
 de realizar o sonho,
 neste verso que aqui exponho,
 depois de tanto bulir
 resolveram construir
a estátua de Santo Antônio


 Que o leitor me acredita
 no que agora vou falar
 espero que não se irrite
 também não quero aumentar
 a água sumiu na baixa
 sumiu dinheiro no caixa
 sumiu de tudo, seu moço!
depois da pouca colheita,
 a estátua só foi feita
 do pé até o pescoço!

Sô Passalim!

Imagem
João de Martins e Maria tinham problemas de consaguinidade e por isso tinham três filhos que tinham problemas, na fala,no andar, etc... Rosa era o caso mais sério. mas todos trabalhavam na roça. Eles tinham um quintal vizinho 'a manga de Seu Zé Bitu, no Inharé e plantavam arroz vizinho a Santiago. Rosa passava o dia pastoreando passarinho, que aliás, é um serviço que lembra muito a nossa infância. Rosa tangia os passarinhos dizendo assim: SÔ. sÔ. PASSALIM DO PAPO INCARNADO! FAI CUMER NAS ROÇA DOS ÔTO! sÔ, SÔ, PASSALIM DO PAPO INCARNADO! FAI CUMER NA ROÇA DE SANTIAGUA!!!

MARIA DE BIL UM MITO VARZEALEGRENSE

Imagem
MARIA DE BIL UM MITO VARZEALEGRENSE Por volta de ano de 1920, chegavam a Várzea Alegre, vindos de Alagoas, Clementino Romeiro, Antonia e seus três filhos, Severino, Maria e Madalena. Para sobreviverem, trabalharam na construção de uma barragem que seria, à época, o açude Olho D’água. A família passou a residir no sítio Inharé, mais precisamente, onde hoje é a casa de seu Zé Bitu e D. Biluca. Nesse período, eram moradores dos Fiuzas do Chico, sendo que plantavam também nas terras de Manoel Leandro e Zé Bitu (Velho), no alto da serra da Charneca. Maria, uma dos três filhos de Clementino e Antônia, era uma mulher simples. Casou com Bil, migrante da região de Iguatu, em 05 de novembro de 1922, na Igreja Matriz de São Raimundo. O dia do casamento foi marcado por mais 24 matrimônios realizados na mesma data. Entre os que casaram naquele dia, pode-se citar, Joaquim de Sátiro, Joaquim Mandu, Zacarias de Biluca, Dica de Joaquim Bezerra, entre outros. Todos os casais moravam na ribeira do Ri…